Igreja do Rosário dos Pretos tem seu interior com afrescos pintados por Nazareno Carfaloni, percursor modernista de Goiás

Tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN, em 1989, Pirenópolis conta com um Centro Histórico ornado com casarões e igrejas do século XVIII.

Atualmente, a igreja abriga o museu da boa morte, com vários objetos sacros. É a única construção na Cidade de Goiás cuja fachada apresenta características barrocas.

Localizada a 12 km da cidade histórica, a Cachoeira do Abade é a maior e uma das mais belas cachoeiras da Serra dos Pireneus.

A paisagem urbana da Cidade de Goiás é marcada por um conjunto arquitetônico dos séculos XVIII e XIX e por saberes e fazeres culturais diversos.

Considerada o cartão postal de Pirenópolis a Igreja Nossa Senhora do Rosário, mais conhecida como Igreja Matriz, é a primeira e maior construção sacra do Estado de Goiás.

1
1

Descubra e encante-se com as Cidades Históricas de Goiás

Mapa das cidades Históricas de GoiásGoiás é de ouro! Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera II, foi o bandeirante que desbravou o território goiano.

Cidades encantadoras como a Cidade de Goiás, Pirenópolis, Corumbá, Jaraguá e tantas outras conservam um patrimônio histórico e cultural de imenso valor.

jardim_casa_dom_inacio_abadianiaUm dos principais pontos turísticos de Abadiânia é o lago artificial formado pela usina hidrelétrica de Corumbá IV, que gera energia para a cidade de Brasília. Porém, na cidade o lago não é usado para fins de abastecimento.

Outra grande atração da cidade é a Casa de Dom Inácio de Loyola, onde o famoso médium João Teixeira de Faria (que foi intitulado pela população de “João de Deus”) realiza suas operações cirúrgicas. A casa recebe pessoas de diversas partes do mundo em busca de ajuda e tratamento.

cidade_de_goiasFundada no século XVIII pelo bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva Filho, que lhe deu o nome de Vila Boa de Goiás, a cidade foi próspera enquanto havia riqueza na época do ciclo do ouro.

Era a capital do estado até meados de 1930. Apesar da perda deste prestígio para Goiânia, que está a 140 quilômetros e distância, no sentido leste, Goiás Velho, como hoje é conhecida, manteve a arquitetura colonial de suas casas, muitas de pau-a-pique, ruas e nove igrejas.

A Cidade de Goiás recebeu em dezembro de 2001 da Unesco em Helsinque, na Finlândia, o título de Patrimônio Histórico da Humanidade.

morro_cabeludo_cocalzinhoO município deve ao cimento a sua própria fundação. Para atender à forte demanda criada pela construção da nova capital do país em Brasília, uma fábrica da Votorantim foi instalada em 1961 na zona rural de Corumbá de Goiás, cidade goiana do ciclo do ouro. Ali desenvolveu-se um distrito, que mais tarde, obteria sua emancipação em 3 de julho de 1990.

Nos tempos áureos, a fábrica teve cerca de 600 funcionários e utilizava plenamente a capacidade para produzir 300 mil toneladas de cimento por ano até quando foi fechada em 1997.

O município é servido por vários rios: Corumbá, Areias , Oliveira Costa e Verde. Nele também está localizada parte do Parque Estadual da Serra dos Pireneus, a maior serra da Bacia Amazônica e do Rio Paraná.

corumbaCorumbá de Goiás foi fundada em 5 de setembro de 1730, na região de Pirenópolis. A história da cidade começou com a descoberta de ouro de aluvião no leito do Rio Corumbá. Em 1840, o povoado se tornou uma paróquia, e nove anos depois, em 1849, Corumbá emancipou-se de Pirenópolis.

A cidade é muito conhecida pelos casarões coloniais, muitos deles tombados pelo IPHAN, por suas ruas de pedra – calçadas por escravos africanos – e pelo Salto do Corumbá, uma das maiores cachoeiras do Centro-Oeste.

O turismo tem crescido cada vez mais com a proximidade de Goiânia, a capital do Estado de Goiás, Brasília, a capital do Brasil e os igualmente turísticos municípios vizinhos Pirenópolis e Cocalzinho. 

jaraguaJaraguá nasceu da busca das riquezas minerais do rico solo goiano em tempos que ainda se usava a mão de obra escrava. Vindos de diversas regiões, mineradores e catadores de ouro traziam consigo os chamados “pretos faiscadores”, escravos astutos, geralmente da “nação Mina”, acostumados à cata do rico minério.

Na década de 80 a cidade de Jaraguá vê crescer o domínio das máquinas, elevando-a ao título de Capital das Confecções. Dos tempos da prosperidade aurífera aos dias atuais a cidade passou por diversos processos que a fizeram se destacar entre os mais prósperos municípios goianos e seu crescimento se dá continuamente.

pirenopolisConsiderado um dos primeiros municípios de Goiás, nasceu no auge do ciclo do ouro, com o nome Minas de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte. O arraial foi fundado pelo português minerador Manoel Rodrigues Tomar, mas há divergências sobre a data correta, outubro de 1727 ou 1731.

Entre os séculos 18 e 19 foi um importante centro urbano, com a mineração de ouro, comércio e agricultura, em especial a produção de algodão para exportação.

A cidade foi tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1989. Em função disso, seu Centro Histórico composto por casarões e igrejas do século 18 é muito bem preservado.

Piri Bier 2016

piribier_2016_

Tendência na Europa e nos Estados Unidos, as cervejas especiais, de fato, caíram no gosto também dos goianos. Este mercado cresce entre 20% e 30% ao ano, o que demonstra a grande valorização do produto, que conquista pelo sabor, pelo aroma e pelas harmonizações.

Acompanhando este avanço, Pirenópolis irá sediar, entre os 20 e 24 de abril de 2016, a segunda edição do já consagrado Piri Bier (Festival de Cervejas Especiais de Pirenópolis).

Se você assim como nós também está ansioso por novidades, então, não deixe de nos acompanhar e seguir a Página e o Instagram oficial do evento!

FICA 2016

fica_2016

O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA 2016) será realizado na Cidade de Goiás, entre os dias 28 de junho e 03 julho de 2016.

O evento tem a finalidade de divulgar, exibir e premiar obras audiovisuais de curta (até 29 minutos), média (de 30 a 69 minutos) e longa-metragem (filmes a partir de 70 minutos), nos gêneros ficção, animação ou documental, com temática ambiental, produzidas em qualquer parte do mundo, além de promover ações de difusão, produção, formação e capacitação na área audiovisual e ambiental.

Estão aptos a serem inscritos filmes cinematográficos e vídeos com temática ambiental, lançados a partir de 1º de janeiro de 2014. As inscrições estarão abertas no período de 18 de março, a 15 de abril de 2016, até às 18h (horário oficial de Brasília – DF), por meio do preenchimento de ficha de inscrição no site www.fica.art.br.